Peeling

Câncer de pele – Pode provocado pelo peeling?

Muitas pessoas acreditam que o peeling pode provocar câncer de pele, mas isto não é verdade. Conheça o tratamento, peeling, que rejuvenesce a sua pele.

Hoje em dia podemos contar com diversos tipos de tratamentos estéticos para melhorar a aparência da pele, e principalmente para prevenir o envelhecimento precoce.

Um dos tratamentos mais procurados é o peeling que retira a camada mais superficial da pele, promovendo a renovação das células e estimulando a produção de colágeno e elastina. No entanto, algumas pessoas têm receio de se submeter a esse tipo de tratamento devido a rumores de que o peeling pode provocar câncer de pele.

Mas, não há motivos para ter medo de fazer peeling, pois essa técnica não oferece nenhum risco de motivar o desenvolvimento do câncer de pele. Pelo contrário, há alguns anos se sabe que os peelings feitos com alguns tipos de ácidos, além de melhorar o aspecto da pele, estimula uma proteína que faz aumentar nossas defesas contra o câncer de pele. Portanto, qualquer tipo de peeling, inclusive o ácido, não pode provocar câncer.

Para deixar bem claro que o peeling não provoca câncer de pele, é importante saber que mais de 80% dos casos de câncer de pele é causado pela exposição ao sol sem proteção.Isso porque a radiação ultravioleta danifica fortemente a pele podendo provocar a deterioração progressiva do DNA das células.

A longo prazo, os raios UVB são absorvidos pelo DNA causando alterações no gene. Já os raios UVA, viram radicais livres, que atacam os sistemas de defesa natural da pele.

Agora que você sabe que o peeling não provoca câncer de pele, então fique pode dentro desse tratamento.

câncer-de-pele-peeling

  • O que é peeling?

O peeling é um tratamento estético que faz uma esfoliação completa, removendo a camada mais superficial da pele com o objetivo de promover a renovação celular.

Existem vários tipos de peeling: químico, físico, mecânico enzimático, a lazer, entre outros. A maioria dos peelings são indicados para minimizar marcas de acne, manchas, rugas finas, linhas de expressão, estrias e até mesmo para rejuvenescer a pele.

  • Tipos de peeling

Veja a seguir, os tipos e peeling, as camadas da pele que eles atingem e para quais problemas cada um deles é indicado.

a. Nível 1: Peeling Muito Superficial

Esse procedimento só atinge as camadas superiores da epiderme, por isso é indicado para reduzir manchas muito superficiais, pele sem brilho, descamação, pele seca, pele cansada e pele sem brilho.

b. Nível 2: Peeling Superficial

Esse tipo de peeling atinge a epiderme e um pouco da derme. Ele é indicado para manchas superficiais, rugas finas, acne ativa e pele áspera.

c. Nível 3: Peeling Médio

Essa técnica, por ser um pouco mais profunda atinge várias camadas da pele, a epiderme, derme papilar e a camada superficial da derme reticular. Por ser um tratamento mais forte é indicado para tratar rugas, cicatrizes de acne, sulcos e manchas.

d. Nível 4: Peeling Profundo

Esse nível de peeling é o mais forte de todos, pois além de epiderme atinge até a camada reticular da derme. Ele é indicado para peles com envelhecimento total, cicatrizes de acne mais profundas e rugas.

Para saber qual peeling é mais indicado para a sua pele, consulte um profissional.

Considerações Finais:

Muitas mulheres vem fazendo o peeling com o objetivo de manter a pele sempre jovem e bonita. Porém, cabe salientar, que você não devem ter medo desse tratamento, pois ele não provoca o câncer de pele.

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.